top of page

Brasil registra crescimento expressivo no mercado de helicópteros

Impulsionado pela demanda de mobilidade aérea nos principais centros urbanos da região Sudeste, o mercado de helicópteros comerciais no Brasil está em ascensão e superando a média mundial.

Helicóptero decolando em frente a instalações da Airbus.

O setor de aviação executiva vem apresentando aquecimento desde 2020, ano em que a pandemia da Covid-19 começou a impactar, levando muitos proprietários a adquirirem suas primeiras aeronaves. Agora, em um movimento natural do mercado, esses mesmos proprietários buscam trocar suas aeronaves por modelos mais modernos, confortáveis e seguros.

Projeções da consultoria Grand View Research apontam que as importações de helicópteros devem encerrar este ano com uma expansão de 6%, superando a média anual prevista de 5,4% até 2030.


O mercado brasileiro de helicópteros comerciais é estimado em impressionantes US$ 5,9 bilhões, excluindo as encomendas militares.

A família de helicópteros de luxo H160 da Airbus tem se tornado uma das preferidas entre os bilionários brasileiros. Segundo o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), um modelo H160-B está registrado em nome da Romanof, empresa de aluguel de imóveis do banqueiro André Esteves, chairman do BTG Pactual (BPAC11), um dos maiores bancos de investimento da América Latina.


Em setembro do último ano, o país contava com 1.093 helicópteros regularizados, representando um crescimento de 6% em relação à frota de dezembro de 2021 (1.032) e de 8% em relação ao fim de 2020.

Esses dados foram divulgados pela Abag (Associação Brasileira de Aviação Geral) com base nos registros do RAB.

O número de novas matrículas na frota da aviação de negócios também vem aumentando significativamente. Em 2020, foram 239 novas matrículas, enquanto em 2021 esse número subiu para 326. Em 2022, até setembro, já se contabilizavam 367 novas matrículas. O indicador para helicópteros movidos a turbina saltou de 33 em 2020 para 47 em 2021 e alcançou 68 nos nove primeiros meses de 2022.

O Brasil subiu de maneira impressionante no ranking em comparação a países mais bem preparados para o segmento da aviação executiva, saltando da 25ª para a 8ª colocação entre 2021 e 2022, Esse avanço foi motivado em grande parte pelas crescentes oportunidades de negócios no país, que é considerado um mercado potencial promissor para táxis aéreos.

As projeções indicam que a expansão da demanda por helicópteros continuará no mercado doméstico, segundo empresas especializadas em importação de aeronaves executivas. Os helicópteros são, cada vez mais vistos pelos clientes como uma solução de mobilidade urbana para viagens com trajetos mais curtos.

コメント


Logo_Helicidade_Vertical_Red.png

©2023 por Helicidade.

bottom of page